18 de jul de 2012

Somos Amigos



Abraão, geralmente é descrito como o “Amigo de Deus”. Sua devoção ao Senhor e sua fé inabalável fizeram com que este homem fosse chamado de Pai da Fé. Na Bíblia está escrito que ele creu, e isso lhe foi creditado como justiça (Romanos 4:3). Deus quando se revelou, havia prometido que através dele uma nação seria formada. Só que Abraão e sua esposa, Sara, eram já idosos e não tinham filhos. E aí?

Aí que o SENHOR providenciou tudo e fez cada uma das promessas se cumprirem. O filho dele recebeu o nome de Isaque e alegrava muito o coração dos seus pais. Só que um pedido vindo dos céus deve ter feito Abraão sentir calafrios: O menino deveria ser sacrificado. Mas como assim? Matar o garoto? Que tipo de pedido é este? Muitos devem ter sido os questionamentos, todavia nenhum deles o impediu de obedecer a ordem divina, mesmo que esta parecesse não fazer nenhum sentido.

Pai e Filho sobem o monte Moriá e ali naquele local, ele entregaria seu filho único e tão amado: “Olá meu amigo, nos encontramos de novo já faz algum tempo, por onde devemos começar? Parece que faz uma eternidade Dentro do meu coração existem lembranças Do amor perfeito que você me deu Eu lembro...” Esta era a sua esperança. Essa era a sua crença. No final, tudo daria certo e deu. Um anjo mostrou-lhe um cordeiro que substituiria o rapaz na imolação e Abrãao ouviu tais palavras:

- "Sei que temes a Deus, porquanto não me negaste o filho, o teu único filho" (Gênesis 22:12).

Muitos anos depois, séculos e séculos passados, Deus entregou o seu unigênito para morrer na cruz e nos garantir a salvação (João 3:16). Jesus se sacrificou. Ele é o Cordeiro que tira os pecados do mundo! (João 1:29). E todos que nele depositam sua fé e obedecem a seus mandamentos são chamados de amigos (João 15:14), tal como Abraão. Por isso cantamos: “Quando você está comigo, Eu sou livre...Eu sou despreocupado...Eu acredito Acima de todos os outros nós voaremos, isto traz lágrimas aos meus olhos... Meu sacrifício...”



27 de mai de 2012

Só Falta Você Entrar



“A casa é sua, por que não chega agora? Até o teto ta de ponta-cabeça porque você demora.” Marta estava super ansiosa com a visita que chegaria a sua humilde residência. Ela era moradora de uma aldeia chamada Betânia, tinha uma irmã mais nova chamada Maria e estava extremamente feliz por receber Jesus em sua casa. Para bem tratá-lo, decidiu arregaçar as mangas e trabalhou duro na intenção de proporcionar uma boa estadia para o Mestre.

Enquanto ficou cheia de serviço na cozinha, Maria “fazia sala” para Jesus. Escutava os seus ensinamentos, aproveitava sua presença e estava feliz demais por estar “aos seus pés” (Lucas 10:39).  Atarefada até o pescoço, Marta fez queixa da irmã que ao invés de lhe ajudar, ficou ali aprendendo mais sobre o Reino. Cristo então lhe disse:

Marta, Marta, estás ansiosa e afadigada com muitas coisas, mas uma só é necessária; e Maria escolheu a boa parte, a qual não lhe será tirada.” (Lucas 10:41-42).

Outro que recebeu o Salvador e teve sua história transformada, foi Zaqueu, o cobrador de impostos. Esse largou o serviço, ficou pendurado numa arvore esperando que o Nazareno passasse, Jesus o viu e foi com ele até sua bela casa: “Não me falta banheiro, quarto, abajur, sala de jantar. Não me falta cozinha, só falta a campainha tocar. Não me falta cachorro uivando só porque você não está. Parece até que está pedindo socorro,como tudo aqui nesse lugar.”

Aquele cara de má reputação, odiado entre seus compatriotas, que não podia servir nem como testemunha perante o tribunal, foi restaurado e viu a salvação entrar em sua casa (Lucas 19:9). Uma mudança profunda começou dali, ao se deparar com sua condição de pecador e ver toda a santidade do Redentor. Por isso, Maria estava certa em ouvi-lo. Por isso, devemos procurar escutar a voz do Senhor e deixar que ele faça morada em nosso coração. Faça essa oração: “A casa é sua, porque não chega logo? Nem o prego agüenta mais o peso desse relógio.” E certamente ele virá, entrará e lhe trará alívio...


18 de mai de 2012

Continue em Frente



José, na época o filho mais novo de Jacó, sonhou que os astros do céu se curvariam diante dele. Seus irmãos não gostaram nada disso e até o seu pai lhe deu uma bronca. A rivalidade entre aqueles irmãos era tamanha, tanto que eles venderam José para um mercador de escravos e disseram ao seu pai que ele tinha sido morto por alguma fera.  Aquele pobre rapaz deve ter se perguntado o porquê de tudo aquilo, mas Deus estava lhe dizendo: “Continue em frente! Continue em frente! O que você conquistou, eles não podem te roubar.”

Cativo numa terra distante, sem o afago paterno, José torna-se um serviçal de Potifar no Egito. Por desempenhar tão bem as suas funções, acaba ganhando a simpatia do patrão, e por sua beleza jovial, desperta os mais levianos desejos de sua patroa. Ele recusa todas as investidas dela, até que contrariada, a mulher arma pra cima de José e o acusa de tentar pegá-la a força. O que aconteceu? Prenderam José injustamente. Mas ao invés de ficar revoltado por tanto sofrimento, ele ouve a mesma voz dizendo: “Eu sei que dói. O seu coração se partiu, mas você pode agüentar mais um pouco.”

Mas devido a uma capacidade especial, saiu da cadeia. Tudo começou quando dois outros presos tiveram um sonho. José ao vê-los conversando, interpretou e disse o que ia acontecer com cada um deles. Do jeito que falou, aconteceu. Um morreu e o outro voltou a servir no Palácio de Faraó. Foi justo esse que contou sobre José ao soberano do Egito. Tinha ele sonhado repetidas vezes o mesmo sonho, ninguém conseguiu decifrar a sua mensagem, apenas José o fez: Haveria sete anos de fartura e outros sete de fome sobre a terra. Devido a isso, José não foi apenas solto. Tornou-se a segunda pessoa mais importante do Reino, responsável pelo estoque de comida para suprir a população quando chegasse o tempo de escassez.

A fome se espalhou por toda aquela região, e só os egípcios tinham o alimento nas dispensas. O que estava armazenado supriu seu povo e outros, que vinham de toda parte comprar alimento. Entre eles, os irmãos de José, que o haviam vendido. Sabe o que ele fez quando reviu seus irmãos? Escutou de novo o recado divino: "Amor não é uma coisa fácil. É a única bagagem que você pode trazer. É tudo o que você não pode deixar para trás". José perdoou a todos e os trouxe, junto com seu pai que estava vivo ainda, para viverem no Egito. Essa história está relatada na Bíblia, a partir do capítulo 39 de Gênesis. Leia, reflita e “continue em frente”...



11 de mai de 2012

O Canto dos Libertos



Livre pra poder sorrir, sim. Livre pra poder buscar o meu lugar ao sol.” Esse é o meu lema desde que fui encontrado por Cristo e caminho com Ele. Faz 9 anos que estou nessa jornada, e durante todo esse tempo, estive ligado a uma congregação aqui do meu bairro cuja denominação é Igreja Evangélica Livre. Sempre que perguntavam pra mim, qual igreja eu freqüentava, a reação a minha resposta quase sempre era a mesma:
- Livre? Como assim? Pode fazer tudo o que quer é?
O conceito de liberdade é um conceito muito debatido, mas em geral, é o direito nato de todos os homens a realizarem atos dentro da legalidade. Existe a Lei, que coíbe algumas ações, essa questão de fazer o que dá na telha não é liberdade: é caos! Imagine você como o mundo seria sem leis? Por isso que elas estão em toda parte, até na natureza. Ou você acha que se jogando do vigésimo andar de um edifício a gravidade não fará o seu papel de lhe induzir ao chão?
Jesus Cristo ensinou que se conhecêssemos a Verdade, seríamos libertos (João 8:32). Pois bem, Ele é a Verdade que liberta (João 8:36 e 14:6)! Através dele, a Lei de Deus foi cumprida e melhor esclarecida. Através de sua obra entendemos que éramos pecadores sujos, mas ele nos purificou ao morrer a nossa morte e vencê-la, permanecendo vivo e rebentando correntes até os dias atuais.
Hoje muitos podem cantar: “Que bom viver,como é bom sonhar; e o que ficou pra trás passou e eu não me importei... Foi até melhor, tive que pensar em algo novo que fizesse sentido.” Aquele que está em Cristo é nova criatura, e o seu passado não o assombra (2Co 5:17). Quem foi liberto se esquece do que ficou pra trás e segue em frente (Fl 3:13) e o pensamento é de que é “bom ter por que se orgulhar A vida pode passar, não estou sozinho.”

- “Livres pra poder sorrir sim!” Este é o canto dos libertos...




6 de mai de 2012

Desespero é Falta de Fé



No Livro de Êxodo temos o relato de como Deus libertou os hebreus do cativeiro egípcio. Após a travessia do Mar Vermelho, com os pés enxutos, havia ainda o Deserto para ser vencido. E durante a peregrinação o SENHOR concedeu literalmente sombra e água fresca; além do alimento, obviamente.  Estava tudo sob controle, faltava apenas entrar na terra que mana leite e mel. A terra prometida: Canaã. Bem que eles poderiam cantar: “Desesperar jamais! Aprendemos muito messes anos. Afinal de contas não tem cabimento entreagar o jogo no primeiro tempo. Nada de fugir da raia. Nada de morrer na praia. Nada de esquecer...”

Quando encontraram Canaã, doze espiões foram enviados para observarem o território e contar tudo o que viram. O lugar era tão frutífero que um cacho de uvas precisou ser carregado por duas pessoas (Nm 13:23). Só que por aquelas bandas, habitavam vários povos que haviam construído cidades fortificadas para si. Eram nações guerreiras, estabelecidas ali há décadas, e que contavam com bons soldados. Eram homens de grande estatura. Para conquistar aquele pedaço de chão era preciso lutar. “Desesperar jamais! Cutucou por baixo o de cima cai.”

Calebe, um dos espiões, falou confiante: “Prevaleceremos!” (Nm13:30). Todavia, os seus companheiros relataram que em Canaã moravam gigantes e que a terra consumiria seus moradores. Devido a essas palavras negativas e apavorantes, bateu o desespero. Os israelitas quiseram voltar para o Egito, estavam todos com medo de morrerem ali, pela espada dos seus inimigos. Calebe, junto a Josué, tenttou acalmar a todos, mas quase foi apedrejado pela multidão ensandecida.

“No balanço de perdas e danos, já tivemos muitos desenganos, já tivemos muito o que chorar. Mas agora acho que chegou a hora de fazer valer o dito popular: Desesperar Jamais!” Essa canção do Ivan Lins reflete o pensamento de Calebe e Josué. Eles eram confiantes por tudo que já tinham presenciado: As maravilhas de Deus os guiando com Sua mão forte. Já o povo, este que entrou em desespero, perdeu totalmente a fé; incrédulos no poder divino, fraquejaram. Lembre-se que o desespero é a falta de fé, e sem ela, não há como agradar o Todo-Poderoso (Hb 11:6). E que isto sirva de lição: os desesperados, aqueles que murmuraram, não entraram na Terra que foi conquistada logo em seguida (Nm 14:23)...


4 de mai de 2012

Ouvir ou se fazer de surdo?


“Um dia o ar se encheu de amor e em todo o seu esplendor as vozes cantaram. Seu canto ecoou pelos campos subiu as montanhas e chegou ao universo e uma estrela brilhou mostrando o caminho. Glória a Deus nas alturas e paz na Terra aos homens de boa vontade!” Assim Roberto Carlos descreve o dia em que Jesus nasceu, o Deus encarnado, que foi dado ao mundo para a salvação daquele que crer (João 3:16). Era o início do Reinado do Amor.
Mas “muita gente se afastou do caminho que é de luz” e “pouca gente se lembrou da mensagem que há na cruz”. E a profecia de Mateus 24: 12 se cumpre em nosso meio:  “E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará.” Tudo o que Cristo nos deixou de legado foi que nós amassemos uns aos outros, tal como ele nos amou (João 15: 12). É um mandamento, e aquele que o obedece, este sim é seu amigo (João 15:14). “Só que muita gente não quis ouvir. Eles estão surdos.” 
No Antigo Testamento, livro de Amós, vemos vários exemplos de uma “covardia surda que só ouve o que convém.” Uma corja de opressores pervertia a justiça e promovia a miséria ao mesmo tempo em que se deleitavam em festas regadas a muito vinho e mesas fartas de comida. Seus concidadãos passavam fome para manter o luxo dos seus palácios. A opressão era marca registrada no Reino de Israel (Amós 4:1), e ninguém ouvia o grito dos oprimidos. Corruptos e hipócritas não paravam com seus rituais religiosos. Enquanto tocavam e cantavam seus hinos sacros, barrigas continuavam vazias.
Não pense que hoje é diferente. Ainda tentam silenciar o grito dos oprimidos. E por falar em grito, um quadro com esse nome foi a leilão esta semana e arrematado por 107 milhões de dólares. O homem é capaz de gastar esse dinheiro enquanto vários outros padecem. Não me espantaria se soubesse que tal comprador é um religioso. Mas Cristo nos ensina com palavras e ações a sermos diferentes. Amar sem olhar a quem e fazer em prol dos que precisam, assim estaremos mais perto de Deus. Cabe a nós, e somente a nós, ouvirmos sua voz e cumprir sua ordenança, ou continuarmos nos fazendo de surdos por mera conveniência...


1 de mai de 2012

Amor que não se Mede



Amor igual ao teu, eu nunca mais terei. Amor que eu nunca vi igual, que eu nunca mais verei.” Talvez tenha pensado assim o Filho Pródigo quando esteve diante da lavagem dos porcos e desejou comer aquilo. Logo ele, que tinha tudo do bom e do melhor na casa de seu Pai. Só que ele decidiu abandonar o seu velho e “ganhar o mundo”. Torrou a grana que recebera, pois havia pedido adiantamento da herança, em farras e depois que ficou sem um tostão furado, olhou pra todos os lados e não havia mais ninguém pra lhe ajudar.

Aqueles que ele presumia que eram seus amigos, na verdade só estavam com ele enquanto esbanjava grana à torta e à direita, quando a fonte secou; o Fanfarrão viu a grande besteira que havia feito. Sem alternativa, teve que trabalhar pra poder comer. O serviço era puxado, e ele não estava acostumado com aquela vida de miséria. Nessa hora, lembrou do velho pai e disse: Eu sei que eu fui embora, agora eu quero você de volta pra mim.”

Prevendo a negação paterna de tê-lo de volta como filho, estava decidido a implorar por uma vaga como empregado em sua fazenda. Sabia muito bem que tinha culpa no cartório e entenderia perfeitamente se seu pai nem quisesse olhar na sua cara.  Mas chegando lá, foi recebido com festa. Um banquete foi feito para celebrar a sua volta, roupas novas lhe foram dadas. Recepção como aquela não esperava, como Filho amado, de volta ao lar.

Jesus contou esta parábola (registrada em Lucas 19) em resposta a acusação dos fariseus de que ele estava se associando a pessoas desqualificadas. A intenção do Mestre era mostrar que ele tinha vindo a este mundo para resgatar os “filhos perdidos” e mostrar o amor do Pai que não se mede, não se pede e não se repete”. Foi motivado por tão grande amor, que se entregou (João 3:16) e morreu na cruz. A intenção é bem simples: Ele quer que você volte pra casa, pra te receber de braços abertos, com festas e banquete...



30 de abr de 2012

Legião de Iluminados


O Sol, o Astro Rei. Seu volume é 1.300.000 vezes maior que o do nosso planeta. Que gigante ele é! Todos os outros corpos do sistema solar giram em torno dessa Estrela. A distância entre o Sol e a Terra é de 150 milhões de km, sendo que sua luz chega até nós em apenas 8 minutos e 18 segundos – que veloz! – e é indispensável pra manutenção da vida, sendo responsável pela permanência da água no estado líquido, condição que permite a nossa sobrevivência.  E, produz o oxigênio, o ar que respiramos.

Renato Russo cantou: “Quando o sol bater na janela do teu quarto lembra e vê que o caminho é um só.” E não é pra menos que a profecia de Malaquias 4: 2 fala que o Sol da Justiça nasceria para os justos, trazendo a cura em suas asas e fazendo com que as pessoas celebrassem de alegria. O vocalista da Legião Urbana continua o seu canto: “... até bem pouco tempo atrás, poderíamos mudar o mundo. Quem roubou nossa coragem?”

Anos antes, os judeus sob a liderança de Esdras e Neemias, tiveram a permissão do rei persa para reconstruir os muros de Jerusalém e o seu Templo, devastados quando os babilônios tomaram a cidade. Houve uma reforma social, religiosa e moral, e a alegria foi devolvida aos judeus. Mas passou-se o tempo e essa alegria foi tomada de assalto, e mais uma vez havia degradação entre o povo de Judá. Quem roubou? Quem colocou a dor no lugar do riso?

O ladrão que rouba, mata e destrói (João 10:10) trabalha incansavelmente para ver uma humanidade decadente e dolorida, mas Deus enviou Jesus com o “desejo de não sentirmos dor”, doeu n’Ele para que fôssemos libertos e curados. Eis o nosso Sol da Justiça. Lembra e vê que Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida (João 14:6). Pegue a estrada e siga pelo caminho de luz, junto com uma galera que saiu das trevas e hoje participa de uma legião de iluminados, estão indo ao encontro do Astro Rei, do Cristo Salvador. O ladrão não pode mais impedi-los...